Aberto: Segunda a Sábado / 24 horas

... A boa oportunidade aconteceu quando um conhecido lhe sugeriu a comercialização do caldo. Nonô precisava alimentar várias bocas e começou a vender a iguaria em uma barraquinha de zinco, localiza na região do barreiro, perto da Mannesmann. Depois passou a comercializa-lo em outros estabelecimentos e, posteriormente, no bar que abriu no centro de Belo Horizonte. Contou sempre com a ajuda da esposa e dos filhos. A família unida conseguiu, mesmo após a sua morte, manter o bar, a clientela e a qualidade do famoso caldo do Nonô.

São 50 anos inesquecíveis para a família Corrêa e também para muitos belo horizontinos frequentadores do bar e do centro da cidade. O caldo está presente na história de muitas pessoas. No decorrer desses anos, as mudanças na cidade foram muitas, mas, felizmente, algumas coisas permanecem intactas, Nonô - O Rei do Caldo de Mocotó é uma delas.

Raimundo Corrêa