Aberto: Segunda a Sábado / 24 horas

Quando solteiro, com meus vinte anos de idade, eu trabalhava como garçom no centro, morava na Lagoinha e era freguês assíduo do Bar do Nonô. Certa vez, no bar, travei um diálogo com um  morador do Edifício Tupis, que fica na esquina da Rua dos Tupis com Avenida Amazonas, pertinho do Nonô. Era um cidadão já na terceira idade,e que tinha um forte sotaque castelhano. Gentilmente, depois de saber que eu trabalhava no Centro, ele me sugeriu que deixasse a minha “indigna” moradia na Lagoinha e fosse compartilhar com ele o apartamento no 9º andar do edifício onde estavam seus pertences de imigrante clandestino. Como já era tarde e chovia muito, aceitei o convite de pernoitar nos aposentos do sujeito e, depois de uma noite tranquila, realmente considerei a possibilidade de me mudar para aquele endereço. Mas, quando fiquei sabendo que o edifício tinha o apelido de “Balança, Mas Não Cai”, recuei e disse ao chileno que continuaria morando na Lagoinha. Hoje, depois de anos, já casado, morando no Barreiro, quando vou ao Bar do Nonô lembro-me dessa história e observo o “Balança, Mas Não Cai” todo reformado, bonito e continua firme, em pé.